A trajetória do Dr. Marcelo Cantarelli

September 6, 2016

 Médico Cardiologista Intervencionista e presidente da SBHCI

Nasci no Hospital São Francisco, pelas mãos do Dr. Severino de Carvalho Cantarelli, meu pai, em Umuarama no interior do Paraná, em 1964. Meus pais me enviaram para São Paulo em 1978, para cursar o colegial no Colégio Anglo-Latino. Apesar de meu pai ser médico e ter passado toda a minha infância num hospital (sim, nossa casa e o hospital ocupavam a mesma construção de madeira, típica da região), decidi pela Medicina apenas poucos meses antes do vestibular.

Entrei na Faculdade de Medicina de Santo Amaro aos 16 anos de idade. Pensava, no entanto, em prestar vestibular novamente. Não conhecia bem a faculdade, era "cara" e muito longe de casa (dois ônibus e um trajeto de quase duas horas). Mas, além do estímulo de meu pai, logo no primeiro dia de aula, especificamente na anatomia, vi que havia escolhido a profissão certa e que só sairia de lá formado. Durante o curso, ter feito parte da Liga de Hipertensão foi muito importante em minha formação. Foi na Liga que desenvolvemos nosso primeiro trabalho acadêmico que seria apresentado em um Congresso Internacional em Cleveland, nos Estados Unidos.

Depois da faculdade, em 1987, fui aprovado no concurso de Residência Médica para Clinica Médica na Escola Paulista de Medicina, entretanto, só a iniciaria após um ano de serviço militar obrigatório no Hospital Geral do Exército. Após a residência em Clinica Médica, foram mais dois anos de residência em Cardiologia na mesma instituição. Foi um período intenso, onde aprendi muito; estava numa grande Escola, com excelentes professores. Fiz muitos amigos e conheci minha esposa (Fernanda, reumatologista).

Nessa época, no início de 1988, ocorreu uma grande mudança em nossa família. Meu pai sofreu grande perda financeira e me lembro como se fosse hoje, quando ele telefonou e nos falou que daquele dia para frente teríamos que nos manter (eu, meu irmão Márcio e minha irmã Maristela) por nós mesmos. Mesmo na residência, onde a carga de plantões era excessiva, comecei a trabalhar fora em plantões noturnos e de fim de semana, quase não dormia em casa. Mas valeu a pena, nada me tirava o ânimo de aprender e conviver com os amigos da EPM – inclusive participando do Coral e da Associação dos Médicos Residentes da Escola Paulista de Medicina, da qual fui vice-presidente.

Após a residência, fiz o curso de formação em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista e o Doutorado na mesma instituição, sob orientação do Prof. Dr. Antônio Carlos de Camargo Carvalho, seguramente um de meus maiores mestres. Nesse período, fui chefe de plantão de Clínica Médica do Pronto Socorro do Hospital São Paulo, cargo que trazia muita distinção entre os alunos e residentes.  Foi 10 anos de formação e atividades na Escola Paulista de Medicina (UNIFESP). Bons tempos.

Dentre os vários hospitais em que trabalhei como intensivista e cardiologista, destaco o Hospital Santa Marcelina, o Hospital da Polícia Militar e o Hospital Sírio Libanês. Com pacientes graves e exaustivos plantões, tive muito aprendizado, realizações, satisfação profissional, além do convívio com grandes profissionais da saúde e bons amigos.

Foi no segundo ano do curso de formação em hemodinâmica que surgiu o convite, por meio dos professores Oscar Pimentel Portugal e Eulógio Emílio Martinez Filho, para integrar o Serviço de Hemodinâmica do Hospital Bandeirantes, juntamente com os amigos e Drs. Hélio Castello e Rosaly Gonçalves. O serviço, que começou acanhado em 1992, se transformaria, após muito trabalho e investimento, em um dos maiores de São Paulo. Em 23 anos de atividade, foram mais de 68 mil procedimentos cardiológicos realizados, passou a ser um centro de formação de residentes (homologado pela SBHCI em 1998) e produtor de pesquisas e publicações científicas. Graças a esse trabalho, surgiram convites para implantação, gestão e atuação em Serviços de Hemodinâmica em outras instituições. De nossa produção assistencial e científica derivaram os títulos de Fellow de duas sociedades cardiológicas americanas: American College of Cardiology (ACC), em 2011, e The Society of Cardiovascular Angiography and Interventions (SCAI), em 2012, um importante reconhecimento.

Em 1996, iniciava a convite do Dr. Luiz Alberto Mattos, então presidente eleito da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista, minha trajetória nessa entidade como Editor do Jornal da SBHCI. Dentre os cargos eletivos, em 2010/2011 exerci o cargo de Diretor Administrativo. Em 2012/2013, Coordenador do Conselho Deliberativo. Em 2011, idealizamos a Campanha Coração Alerta (www.coracaoalerta.com.br), uma iniciativa de conscientização que visa reduzir as mortes por infarto através da informação, ensinando os sinais e sintomas do infarto e a necessidade do rápido atendimento e da prevenção de fatores de risco coronarianos. Lançada em 2012, recebeu apoio da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Associação Médica Brasileira e Ministério da Saúde. Também angariou importantes parceiros, como o Dr. Dráuzio Varella, o Rotary Club de Santos e o Instituto Lado a Lado Pela Vida. Hoje seu site contabiliza mais de 200 mil acessos – já sua página no Facebook registra mais de 1 milhão em alcance por mês.

Em 2015, fui eleito Presidente da SBHCI para o biênio 2016/2017. Uma honra, um reconhecimento, uma grande responsabilidade, um desafio, uma trajetória que continua.

Minha missão como presidente da SBHCI tem o objetivo de fortalecer as ações iniciadas pelas gestões anteriores, buscando sempre excelência científica; qualidade e capacitação profissional; luta por direitos; e incentivo à pesquisa e à implementação de novas tecnologias.

 

Títulos:

Especialista em Cardiologia pelo MEC e Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)/AMB.

Certificado na Área de Atuação em Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista pela Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI) /SBC/AMB.

Titulo de especialista em Terapia Intensiva pela AMIB/AMB.

Fellow do American College of Cardiology (ACC)

Fellow da The Society of Cardiovascular Angiography and Interventions (SCAI)

Atual diretor da Angiocardio, coordenando conjuntamente com o Dr. Hélio Castello os serviços de Cardiologia Intervencionista dos Hospitais Bandeirantes e Leforte em São Paulo, Regional do Vale do Paraíba em Taubaté, São Francisco de Assis em Jacareí e SAMER em Resende -RJ.

Coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital Bandeirantes.

Editor Associado da Revista Brasileira de Cardiologia Invasiva

Presidente da Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI) para o biênio 2016-2017

 

Please reload

Destaque

Cochrane Brasil e a capacitação de médicos para atuar na linha de frente da pandemia

July 3, 2020

1/10
Please reload

Posts relacionados
Please reload

Arquivo