Hidroxicloroquina (HCQ) profilática e na COVID-19 leve



A Associação Médica Brasileira acaba de divulgar a diretriz HIDROXICLOROQUINA (HCQ) PROFILÁTICA E NA COVID-19 LEVE. Visa combinar informações da área médica para padronizar as condutas, auxiliando o raciocínio e a tomada de decisões.


A iniciativa é do Projeto Diretrizes da AMB, tendo como autores Alexandre Naime, Hélio Bacha e Suzana Tanni. A coordenação é do Grupo MBE AMB: Wanderley Marques Bernardo.


Profilaxia


Não há diferença na incidência de COVID (RT PCR +), hospitalização, eventos adversos graves e de óbitos em pacientes com o uso profilático comparando-se HCQ e controles sem HCQ, no seguimento entre 2 e 8 semanas. O uso de profilático de HCQ aumenta o risco de eventos adversos em 12% (IC95% 6 a 8%) – NNH:9, quando comparado a controles sem HCQ, no seguimento entre 2 e 8 semanas. A qualidade da evidência variou entre muito baixa ou moderada.


Tratamento leve


Não há diferença na hospitalização, eventos adversos, eventos adversos graves e óbitos ao se comparar HCQ e controles sem HCQ, no tratamento de pacientes com quadro de COVID leve. A qualidade da evidência variou entre muito baixa ou alta.


Recomendação


Não é recomendado o uso de HCQ na profilaxia ou no tratamento de pacientes com quadro de COVID-19 leve.

12 visualizações0 comentário