Saúde Mulher SOGESP em ação na praia de Santos

April 5, 2017

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP), em parceria com a Associação Paulista de Medicina (APM), promove um mutirão para orientar as mulheres sobre importantes temas da saúde feminina, na praia do Gonzaga, Santos, em 9 de abril, das 9 às 14h. Médicos especialistas e estudantes esclarecerão as dúvidas de participantes. Também haverá distribuição de camisinhas, folders explicativos, panfletos, brindes, água, suco e chope além de sorteio de livros, música ao vivo e zumba.

 

Batizada de Saúde Mulher SOGESP, a ação receberá o público na tradicional barraca da APM, localizada próxima ao Canal 3. Haverá, de maneira gratuita e acessível a todos os banhistas, palestras curtas, com duração de dez a quinze minutos. Entre os temas, a relação de zika, dengue e gravidez, higiene genital feminina, sífilis adquirida e congênita, gravidez não planejada e mortalidade materna e infantil.

 

A SOGESP tem preocupação permanente com a saúde da mulher brasileira. É fundamental para nós a aproximação com a comunidade, a fim de nos tornarmos ponto de referência para quem busca informação de qualidade.

 

Sara Bittante da Silva Albino, presidente da APM Santos, diz que atividades como essa são idealizadas exclusivamente em prol do cidadão: “Daí a importância dessa união com a SOGESP, pois transmitiremos conhecimento de excelência à saúde da mulher, em particular para a prevenção de doenças e cuidados pré-natal”.

 

DSTs

O número de infecções sexualmente transmissíveis não para de crescer.
Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que no Brasil
há, por ano, 937 mil novos casos de sífilis, 1,5 milhão de gonorreia, 1,97 milhão
de clamídia, 640 mil de herpes genital e 685 de HPV. Relatório emitido
pelo Ministério da Saúde, em 2009, calcula que cerca de 10 milhões de
brasileiros já apresentaram sintomas de alguma DST.

 

“As pessoas acreditam que são imunes às doenças sexualmente
transmissíveis e praticam sexo desprotegido. A sociedade construiu um
preconceito perigoso ao redor das DSTs, acreditando que só acometem determinadas classes sociais, faixas etárias e orientação sexual. Isso não é
verdade: todos podem ser infectados”, alerta Rose Luce Amaral, médica do
Hospital da Mulher CAISM, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), responsável pela palestra sobre o tema no Verão Mulher SOGESP.

 

Sífilis Congênita

Dados da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, divulgados em 2015, afirmam que, em seis anos, a sífilis congênita teve aumento de 135%, e em gestantes o percentual chegou a 1.407%. Encarada como epidemia pelo Ministério da Saúde, é uma doença silenciosa, capaz de acarretar problemas sérios, como aborto, má formação do feto ou morte no nascituro.

 

Diante deste cenário preocupante, João Carlos Francez, especialista em Doenças Sexualmente Transmissíveis pela Sociedade Brasileira de DST, abordará a incidência, as formas de transmissão, os sintomas, o tratamento e, principalmente, a prevenção. “Devido ao expressivo crescimento do número de infectados, é fundamental informar a comunidade a respeito da sífilis, tanto a adquirida quanto a congênita”, reforça.

 

Mortalidade materna

Levantamento da Secretaria Estadual de Saúde com a Fundação Sistema
Estadual de Análise de Dados (SEADE) aponta que a Baixada Santista
apresenta a maior taxa de mortalidade materna e infantil de São Paulo,
com índices 36,4% acima da média. Esse tópico será discutido em apresentação
do professor do Centro Universitário Lusíada e presidente da Regional
Santos da SOGESP, Francisco Lázaro Pereira de Souza.

 

“Os indicadores apontam as condições de saúde de uma população
e o compromisso que a sociedade tem com o direito das mulheres.
Estima-se que 90% dos óbitos de mulheres grávidas poderiam ser evitadas
com atendimento adequado. A morte materna tem nome e história,
não é apenas um número”, alerta Souza.

 

Contracepção

Jarbas Magalhães, vice-presidente da SOGESP, tratará dos principais métodos de contracepção. “No mundo, a taxa média de gravidez é de 133 a cada dez mil mulheres entre 15 e 44 anos. Destas, 40% não foi planejada. Em países em desenvolvimento, mais de 200 milhões desejam evitar a gestação, mas não fazem uso de contraceptivos”, informa.

 

Segundo Magalhães, o cenário é agravado pela falta e uso incorreto desses mecanismos. “Por isso, vamos desmitificar as opções de longa duração, como DIU e implante, que reduzem significativamente a ocorrência de gravidez não planejada”.

 

Zika

A falta de políticas públicas para saúde reprodutiva voltou a preocupar a população geral após a descoberta da relação da infecção por zika com a microcefalia. Estudo da Universidade de Brasília identifica que 50% das mães em potencial preferem evitar engravidar por medo do vírus. Sergio Floriano Toledo, diretor-gerente da Regional Santos da SOGESP e professor mestre da Faculdade de Ciências Médicas de Santos, orientará sobre os perigos às gestantes ocasionados pela dengue e zika

 

“Também abordarei a proliferação de larvas do Aedes aegypti, que podem ficar em latência por até um ano. Repassarei dicas sobre proteção contra os mosquitos, com uso de repelentes e de roupas claras que cubram as pernas e braços, áreas mais suscetíveis às picadas. E que as grávidas devem sempre usar camisinha nas relações sexuais com os parceiros, uma vez que a doença geralmente pode ser assintomática nos homens”, diz dr. Toledo.

 

Higiene íntima

Aliada à prevenção de doenças, a manutenção do microbioma feminino auxilia na preservação da saúde da mulher. Paulo Giraldo, presidente da SOGESP, apresentará aula referente à higiene íntima, destacando a utilização de produtos adequados como absorventes, lingerie e na depilação. “Manifestações consequentes à higienização incorreta podem ser confundidas com doenças como candidíase. O ideal é adotar uma limpeza que não peca por falta nem excesso e que remove a maior parte do material orgânico acumulado, além da aplicação de produtos que não agridam a pele e a mucosa vulvar”, diz. “Dedicarei meu tempo para esclarecer mitos e verdades presentes no senso comum”.

 

Saúde Mulher SOGESP

A ação Saúde Mulher SOGESP, que aconteceu pela primeira vez em janeiro com o nome Verão Mulher, também em Santos, tem como principal objetivo alertar mulheres sobre diversos temas pertinentes à saúde feminina. O evento é totalmente gratuito e será servido um voucher por pessoa que dará direito a suco, chá, água ou chope. Além da distribuição de camisinhas e folders. É extremamente importante que os médicos saiam das clínicas e consultórios e vão até as pacientes para dar orientações e tirar dúvidas.

 

Confira a programação!

9h - 10h - Abertura do evento - Zumba Fitness

10h - 10h20 - Higiene Genital Feminina – Dr. Paulo César Giraldo

10h20 - 10h40 - Gravidez não planejada – Dr. Jarbas Magalhães

10h40 - 11h - DST – Dra. Rose Luce Gomes do Amaral

11h - 11h20 - Zika / Dengue e gestação - Dr. Sérgio Floriano de Toledo

11h20 - 11h40 - Sífilis adquirida/Congênita – Dr. João Carlos Francez

11h40 – 12h - Mortalidade Materna e Infantil – Dr. Francisco Lázaro P. de Sousa

12h – 14h - Apresentação Musical

Encerramento

Please reload

Destaque

Beije com moderação

February 21, 2020

1/10
Please reload

Posts relacionados

February 21, 2020

February 19, 2020

Please reload

Arquivo