Nota de repúdio às agressões físicas sofridas por médico da UBS Vila Renato



A Associação Paulista de Medicina repudia com veemência o lamentável episódio de sequestro seguido de agressão física sofrido por médico que trabalha na Unidade Básica de Saúde da Vila Renato, na região de Sapopemba, Zona Leste de São Paulo.


Segundo os relatos divulgados pela imprensa, o médico foi ameaçado por uma paciente que exigia atendimento prioritário, mesmo sem reunir as condições para tal. Dois dias depois, o profissional foi encapuzado e brutalmente agredido.


A APM entende que a agressão contra médicos e outros profissionais de Saúde é um ato totalmente injustificado e lamenta a falta de segurança com que são obrigados a lidar em suas rotinas de atendimento à população.


Absurdos como esse ocorrem há anos, em várias regiões do País, e devem ser objeto da atenção das autoridades, sobretudo em um momento como o que vivemos por conta da pandemia de Covid-19, que torna o trabalho do médico ainda mais árduo.


A Associação também se coloca ao lado da população local, que agora lida com uma UBS desfalcada e com profissionais traumatizados pelo ocorrido. É necessário urgentemente que os responsáveis por este ato criminoso sejam identificados e devidamente responsabilizados.

1 visualização0 comentário