Condutas para atendimento à gestante durante a pandemia

Com apoio e base em experiência da SOGESP, o Ministério da Saúde lança orientações quanto ao acesso e à horizontalidade da assistência durante a pandemia, com diretrizes para evitar a morbimortalidade materna e agravos ao concepto



Em primeiro de setembro, o Ministério da Saúde disponibilizou o Manual de Recomendações para a Assistência da Gestante e Puérpera a todos os médicos e profissionais de saúde do Brasil (acesse em www.sogesp.com.br). A meta é orientar o acesso e a horizontalidade da assistência durante a pandemia da COVID-19, abordando as vias de transmissão, o diagnóstico precoce e o adequado manejo das gestantes e puérperas nas diversas fases da infecção, definindo diretrizes que evitem a morbimortalidade materna e os agravos ao concepto.


A publicação é fruto de um trabalho elaborado por um grupo selecionado por Rosiane Mattar, diretora científica da SOGESP, após convite do diretor do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas (DAPES), Antônio Rodrigues Braga Neto. Participaram dezesseis especialistas envolvidos em pesquisa obstétrica ao redor do País. De São Paulo, todas são da SOGESP: além de Rosiane, Rossana Pulcineli Vieira Francisco, presidente; e Silvana Maria Quintana, coordenadora científica de Obstetrícia.


O projeto fez-se imprescindível a partir da constatação de que a pandemia impacta negativamente as taxas de mortalidade materna, por vezes em razão do atraso ou da não chegada da paciente grávida aos centros de saúde, pesando para tanto o receio e o indicativo geral para permanecer em casa nestes tempos.


"Embora a COVID-19 seja recente, a ciência é rápida. Nas bases de artigos científicos, novas publicações surgem todos os dias. O grupo se debruçou sobre esses conhecimentos, aliado à experiência prática, para a produção do Manual", afirma Rosiane.


Aliás, a trajetória dos profissionais envolvidos, bem como as situações vivenciadas simultaneamente à pandemia nos hospitais, foram fundamentais para garantir a qualidade e o resultado de excelência.


A obra já está acessível gratuitamente no portal do Ministério da Saúde. Rosiane chama a atenção para o trabalho de atualização constante, também destacando o papel da SOGESP: "Temos como princípio qualificar a capacitação em assistência à mulher aos profissionais médicos e relacionados à Ginecologia e Obstetrícia. Assim, a meta é que o Manual chegue a todos", pontua.

O MANUAL


O Manual de Recomendações para a Assistência da Gestante e Puérpera considera as especificidades do organismo materno e indica o manejo mais adequado nas diferentes fases da COVID-19, apontando riscos de morbidade materna e perinatal ocasionada pela doença.


Silvana afirma que o documento é um norte para todos os envolvidos no atendimento à gestante: "Confere uma referência sobre melhor padrão de cuidado baseada em evidências científicas".


Ela reafirma que a publicação não é destinada exclusivamente aos ginecologistas e obstetras, mas a todos os que atuam com gestantes, parturientes e puérperas, tais como os médicos da família e enfermeiros. "A prioridade é a diminuição da mortalidade materna."


Entre os pontos de destaque abordados no Manual estão o fluxo da paciente, a preparação dos serviços para o atendimento, os exames sorológicos necessários, a condução correta do pré-natal e os métodos de tratamento das gestantes que testaram positivo para a doença, o uso de equipamentos individuais de segurança, e a classificação de sinais e sintomas por grupo de desgaste e puérperas.


Para maior capilaridade, o Ministério da Saúde propôs ao grupo de pesquisadores que a divulgação ocorra através de videoaulas. A ideia, ainda em planejamento, é a de reuniões ao vivo com a participação de médicos e profissionais de saúde de todo o País, esclarecendo dúvidas sobre a aplicação do Manual em casos específicos.

1 visualização

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo