Apagão de dados do Ministério da Saúde compromete combate a Covid entre grávidas e puérperas




Durante a pandemia atual, o Observatório Obstétrico Brasileiro (OOBr) tem monitorado os dados de COVID-19 da população materna (gestantes e puérperas) e de crianças até 2 anos de idade, além dos dados de vacinação da população materna.

Esse acompanhamento e os números atuais são disponibilizados em boletim semanal -acesso ao boletim em https://oobr.substack.com.

O SIVEP-Gripe (base de dados do Ministério da Saúde sobre as internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave) era normalmente atualizado às quartas-feiras, sendo que os painéis do OOBr e o boletim do OOBr tinham divulgação todas as quintas-feiras.

No entanto, o mais recente boletim do OOBr data de 2 de dezembro de 2021, uma vez que a última atualização do SIVEP-Gripe do MS foi realizada em 1 de dezembro de 2021. São mais de 30 dias de apagão de dados e, até agora, o acesso às estatísticas públicas não foi restabelecido pelo Ministério da Saúde.

A situação é preocupante. Nesse início de ano assistimos ao avanço da Ômicron e ao aumento do de casos em todo o mundo, inclusive entre gestantes e puérperas.

Sem acesso aos dados atualizados, sem análises semanais dos cenários e tendências, fica uma lacuna de informações imprescindíveis para decisões baseadas em evidências científicas. E isso compromete a saúde das gestantes, puérperas e toda a população.


Links dos painéis de visualização:

• COVID-19 materna em https://observatorioobstetrico.shinyapps.io/covid_gesta_puerp_br;

• COVID em crianças até 2 anos em https://observatorioobstetrico.shinyapps.io/criancas_ate2anos e

• Vacinação na população materna https://observatorioobstetrico.shinyapps.io/vacinacao-covid19).


Sobre o OOBr


O Observatório Obstétrico Brasileiro (OOBr) é uma plataforma interativa de monitoramento, análises de dados públicos (da saúde, socioeconômicos e ambientais) cientificamente embasadas e disseminação de informações relevantes na área da saúde materno-infantil, com recortes estaduais e municipais.

O OOBr visa ser uma referência de informações acessíveis e confiáveis sobre saúde materno-infantil e ser um suporte importante para a tomada de decisões na área.

O OOBr conta com pesquisadores da UFES, USP e FACENS e tem o financiamento da Fundação Bill-Melinda Gates, CNPq, DECIT e FAPES.

O OOBr tem o apoio da ODD Studio e da PCDaS

4 visualizações0 comentário