Infecções genitais: comuns, mas exigem atenção


As infecções do trato reprodutivo, além de serem bastante frequentes entre mulheres, apresentam sintomas desagradáveis, implicando em altos custos pessoais, custos econômicos no diagnóstico e tratamento e possibilidade de complicações. A Live #6 da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP) traz o que há de mais atualizado no tema com a participação de especialistas, em 16 de julho, às 20h.

“Os agentes etiológicos provocam sinais e sintomas com diferentes características clínicas, por vezes associados, mas, eventualmente, podem ser oligosintomáticos ou assintomáticos Mesmo assim, podem resultar no comprometimento da vida pessoal e sexual da paciente, bem como da capacidade reprodutiva, além de aumentar o risco de neoplasias”, explica a convidada Iara Moreno Linhares, professora livre-docente da Disciplina de Ginecologia do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Ela pontua ainda que pesquisas recentes sobre o microbioma do trato genital têm possibilitado um melhor entendimento dos processos de interação entre o hospedeiro e o agente infeccioso, ainda que muitos aspectos necessitem de mais estudos.

“Esse tema é muito comum e muito importante. Sempre há algo novo para aprender: uma abordagem, um aspecto mais atualizado, uma revisão. Cada caso desperta dúvidas diferentes, as quais devem ser discutidas e analisadas”, acrescenta a palestrante Maricy Tacla, médica assistente do Hospital das Clínicas da FMUSP.

A Live #6 será baseada em casos clínicos variados, voltados para ginecologistas e profissionais da saúde interessados no assunto. Ao final, será aberto para perguntas. Segundo a dra. Maricy, a expectativa é levar o conhecimento de forma objetiva, prática e dinâmica, despertando a curiosidade daqueles que lidam com as infecções genitais diariamente.

A coordenadora do debate, dra. Marcia Fuzaro Terra Cardial, segunda tesoureira da SOGESP, reafirma e complementa: “A discussão é importante para que os ginecologistas ampliem seus diagnósticos e possam evitar problemas futuros em relação à vida sexual e à gravidez das pacientes”.

Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP)

Data: 16 de julho de 2020

Horário: 20h

Link: https://www.youtube.com/channel/UChyQBcOERIqKq8aROqictYA


0 visualização

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo