Bebeu água?


Não? Não espere a sede aparecer para se hidratar. Saiba como curtir o verão de forma saudável.

O verão se aproxima, assim como o tempo quente e as festas de final de ano. Em meio aos preparativos para o Natal e Ano Novo, muitas pessoas se lembram dos presentes, da ceia, do champanhe, da viagem em janeiro e até das antigas superstições deixadas de lado há muito tempo. Mas, na correria, acabam se esquecendo de um item essencial: a hidratação.

O verão é uma época propícia para a perda de água pelo organismo devido à própria condição ambiental, já que com o aumento da temperatura, aumenta também a evaporação e a transpiração. Além disso, a ocorrência de doenças gastrointestinais é mais comum, provocando diarreia e vômito, aliados da desidratação. Para piorar o cenário, a ingestão de água ainda não é um hábito comum entre grande parte da população brasileira.

Nos adultos, mal-estar, dor de cabeça e cansaço são os principais indicativos da desidratação. Porém, os grupos mais atingidos são as crianças e os idosos. Segundo dr. Wallace Newton Scott Junior, presidente da Regional São Paulo da Sociedade Brasileira de Clinica Médica, os idosos desidratam mais facilmente, porque não possuem a habilidade orgânica de compensar o nível de água. “Nesse caso, pode resultar em complicações mais severas, como confusão mental, perda de consciência e até níveis de coma, em alguns casos”, alerta.

Já as crianças, conforme explica dr. Daniel Magnoni, diretor do Serviço de Nutrologia do HCor, acabam não se alimentando e se hidratando corretamente, principalmente durante os passeios típicos do verão. Ele também ressalta que a indicação de ingestão diária de dois a três litros de água só é válida para adultos normais, visto que os idosos e as crianças possuem peculiaridades específicas.

Em todo caso, os principais sintomas são a concentração e alteração na frequência da urina, boca e olhos secos, cansaço, sonolência, prisão de ventre e até arritmia cardíaca. Para aproveitar as festas e viagens de final de ano sem passar por tais incômodos, o ideal é levar consigo uma garrafa de água ou, se for comprar no local, procurar aquela de melhor qualidade.

Dr. Wallace brinca: “Temos que observar mais a natureza. Nós ficamos como os leões-marinhos expostos ao sol do meio-dia as três, mas deveríamos nos espelhar nos outros animais, como os da fazenda, que descansam durante a hora do almoço. A exposição ao sol e ao calor excessivo também resultam na desidratação”.

Quanto ao consumo de bebidas alcoólicas, dr. Magnoni enfatiza: “Vinho, cerveja e whisky não são líquidos de hidratação. Elas atuam no rim justamente no sentido contrário, aumentando a eliminação de urina”. O conselho é alternar um copo de bebida alcoólica com outro de água, chá ou suco. “As frutas podem ajudar nesse contexto, porque, além de vitaminas, minerais e fibras, também oferecem líquido”, explica.

Para curtir as festas e o calor sem preocupação, os especialistas fornecem ainda outras dicas importantes: atentar-se à procedência dos sucos de quiosques e vendedores ambulantes, repor todo o líquido eliminado através da urina, evitar alimentos muito gordurosos e sal em excesso e moderar na bebida alcoólica e nos refrigerantes.


8 visualizações

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo