PRECISAMOS FALAR SOBRE PARKINSON


Congresso Paulista de Neurologia contará com diversas palestras sobre o assunto

Lento e progressivo, o Parkinson acomete cerca de 200 mil brasileiros. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que, aproximadamente, 1% da população mundial acima de 65 anos convive com a doença. Essa realidade será tratada no Congresso Paulista de Neurologia, que acontecerá de 29 de maio a 1º de junho no Guarujá. O Hotel Sofitel Jequitimar será palco do encontro, que visa abordar diversos assuntos e contribuir para o desenvolvimento da área neurológica.

Conhecida por acarretar dificuldade nos movimentos, a doença é provocada por uma degeneração do sistema nervoso central, chamada de substância negra do tronco cerebral, gerando a diminuição da dopamina. Esse neurotransmissor auxilia na transmissão de mensagens entre as células e é fundamental para a execução de movimentos voluntários.

O Parkinson, geralmente, acomete pessoas com mais de 60 anos de idade. Porém, jovens também podem manifestar o problema. Com o processo de envelhecimento, todos os indivíduos apresentam a morte progressiva de células nervosas produtoras de dopamina. Entretanto, em pacientes com Parkinson essa diminuição é mais acentuada. A carência dessa substância leva à rigidez e tremores, características marcantes do parkisonismo.

O diagnóstico é feito por exames neurológicos, como tomografia cerebral e ressonância magnética. Entretanto, a maneira mais comum de reconhecimento é através dos sintomas. Os principais indícios do Parkinson são o tremor involuntário, a inflexibilidade de membros ou articulações, a lentidão motora e dificuldade de equilíbrio.

Não há uma cura para a doença, mas o tratamento ajuda o paciente a obter uma melhor qualidade de vida. Os recursos utilizados resumem-se desde medicamentos para repor parcialmente a dopamina até a fisioterapia.

Com expectativa de receber em torno de 3.500 médicos, o congresso contará com uma palestra intitulada “Conduta medicamentosa na fase inicial de sintomas da doença de Parkinson”. O encontro será ministrado pelo Dr. Henrique Ballalai Ferraz, presidente da Sessão Panamericana da Sociedade Internacional de Parkinson e Transtornos do Movimento.

No dia 30 de maio, no período das 11:20 às 11:50, os congressistas terão a oportunidade de compreender quais as melhores estratégias de tratamento para parkinsonianos. O especialista ressalta que o objetivo é ajudar a prática do médico no consultório “É importante abordar esse assunto, pois começar um tratamento de forma correta e adequada pode prevenir complicações no futuro do paciente.”, completa.


0 visualização

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo