O despertar do amanhã


Ele chegou! 2019 pede passagem e entra em nossas vidas renovando esperanças de um mundo e um Brasil melhores. Vale muito entrar nessa onda e encarar o amanhã com bons olhos.

Ser positivo, acreditar que os desafios podem ser vencidos e que as possibilidades serão alvissareiras realmente são pressupostos determinantes a uma existência mais feliz, à construção de um País mais justo.

Viramos o ano. E, por aqui, empossamos um novo Governo. Agora, o presidente de plantão chama-se Jair Bolsonaro. A ele demos aval, por maioria dos votos, para nos representar e para zelar por nossos interesses.

Somos uma Democracia. O presidente, como qualquer ocupante eventual de um cargo eletivo, é delegado por nós para colocar em prática o que esperamos e sonhamos para o Brasil.

Sim, ao ser empossado, ele ocupará, por tempo determinado, o mais alto posto do funcionalismo público. Passará a responder pela cadeira da Presidência da República, inclusive recebendo salários e adicionais pagos por todos nós, via impostos.

Isto posto, registro aqui, algumas expectativas que parecem ser consenso entre os cidadãos... Estes, sim, os autênticos mandatários na Nação, conforme consagra o parágrafo único do artigo I da Constituição Federal: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente”.

Senhor presidente, boa sorte. Somos uma Democracia, só reafirmando, e este é nosso bem mais sagrado. Portanto, exigimos, todos os brasileiros, que garanta o respeito ao Estado de Direito e à Constituição Federal. Boa sorte.

Aliás, em nossa carta magna, estão elencadas nossas demandas principais. O artigo 96, por exemplo, aborda uma questão que há muito é das principais preocupações da população: a saúde.

Diz, literalmente, tratar-se de “direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”.

Então, senhor presidente, que as demandas de saúde de nosso povo sejam atendidas urgentemente. É mister resolver o problema de subfinanciamento do Sistema Único (SUS), investindo, com gestão competente, para melhorar a atenção em todos os níveis, em especial na primária.

O fim das filas para consultas e internações, políticas de prevenção e promoção à saúde têm de ser prioridades, assim como a distribuição de remédios aos mais vulneráveis socialmente.

É preciso ainda mão firme para acabar com os aumentos abusivos de planos de saúde e com as negativas de cobertura. É essencial também valorizar os recursos humanos, para que tenham condição de se desenvolver profissionalmente, melhorando a qualidade da assistência.

No mais, senhor presidente, os brasileiros esperam educação para os filhos da Pátria, todos eles, e de qualidade. Queremos também segurança, emprego, fim da corrupção, salários adequados e leis de proteção aos trabalhadores, que são quem constroem a riqueza do Brasil.

Cumprindo esta pauta, senhor presidente, o resto a gente corre atrás. Boa sorte mais uma vez e, por favor, administre com zelo o que é nosso (do povo), o Brasil.

Antonio Carlos Lopes, presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica


4 visualizações

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo