Horário de verão e as alterações no organismo


Adiantamento de uma hora no relógio biológico pode desgastar o corpo e a mente

A zero hora de 18 de novembro de 2018, inicia-se o horário de verão nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Os relógios devem ser adiantados em uma hora, permanecendo assim até 16 de fevereiro de 2019.

Com a mudança, muitos questionam os reais impactos causados no organismo. O dr. Rubens José Gagliardi, da Academia Brasileira de Neurologia, explica quais são as principais consequências para o corpo e a mente:

“Ao adiantar os ponteiros, nosso sistema cronobiológico pode eventualmente se alterar da mesma maneira do que quando fazemos uma viagem para outro país e sofremos com o jet lag, a descompensação horária provocada pela alteração do fuso”.

Entretanto, por ser tratar de uma alteração de apenas uma hora, é muito raro termos a apresentação de sintomas específicos. A grande maioria das pessoas não sente diferença, ou tem uma adaptação quase imediata.

Eventualmente podem ocorrer alterações no humor, como a irritabilidade, sensação de fadiga e alguma alteração do sono, mas isto incide numa minoria de pessoas.

Neste período, para as pessoas sensíveis a essas situações, pode-se recomendar, para melhor adaptação, principalmente da rotina do sono, adiantar o relógio paulatinamente, preparando-se para a hora da virada.


5 visualizações

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo