Cremesp lamenta prorrogação de MP que permite exercício da Medicina sem revalidação de diploma


Em apoio à nota do Conselho Federal de Medicina sobre a prorrogação da permanência de médicos formados no exterior sem revalidação de diplomas, por parte do Governo Federal, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo assim se posiciona:

O Cremesp sempre lutou pela qualidade do atendimento médico, contra a abertura indiscriminada de escolas de Medicina, pregando que os médicos brasileiros recém-formados sejam submetidos a uma prova final de avaliação de seus conhecimentos para o exercício da profissão médica.

Neste sentido e da mesma maneira, continuamos a reivindicar que os médicos formados no exterior, sejam eles formados onde forem e que origem tiverem, sejam submetidos à revalidação de seus diplomas para que possam exercer a Medicina no País, por meio do próprio exame – o Revalida – realizado pelo Governo Federal.

O Cremesp sempre defendeu o fortalecimento do SUS, por meio de financiamento adequado e sustentável e melhor gestão do sistema, com a criação da Carreira de Estado para o médico do serviço público e melhores condições de trabalho para todos os profissionais que trabalham na saúde pública brasileira.

Lamentamos a prorrogação da Medida Provisória que continua a não exigir a revalidação dos diplomas de médicos formados no exterior.

Postulamos, ainda, que os Conselhos de Medicina do Brasil voltem a ter a prerrogativa legal de fiscalização sobre o exercício profissional de todos os médicos do Brasil.


4 visualizações

(11) 3871-2331 | 3873-6083  

 3562-0088 | 99911-8117

Av. Pompéia, 634

Cj. 401 - São Paulo